O [email protected], criado pelo professor José Azevedo, do departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), é um projeto que reúne cerca de 30 escolas e pretende alertar os estudantes do ensino secundário e do terceiro ciclo para as mudanças no clima, através de “abordagens inovadoras para o ensino e aprendizagem”.

Segundo Susana Neves, produtora executiva do [email protected], o desenvolvimento do projeto foi feito em “várias fases”. Inicialmente, a equipa contactou a Direção Geral de Educação para “perceber quais as instituições que tinham um média escolar” e, posteriormente, os alunos e professores receberam formação sobre “as alterações climáticas e os média”.

Os estudantes são desafiados, através dos seus média escolares – jornais, rádios ou televisão -, a pesquisar e redigir textos jornalísticos que alertem para o tema: “A nossa proposta é que os alunos, através da elaboração de texto, vídeo e áudio façam pesquisa e aprendam sobre as alterações climáticas”, explica a produtora executiva.

No futuro, a equipa pretende “acrescentar mais atividades”. Susana Neves afirma que o [email protected] vai apostar na “criação de algumas conferências que vão ser emitidas em ‘livestreaming’ para as escolas, com especialistas a falar sobre as alterações climáticas”.

Escolas recebem 100 mil euros para combater mudanças do clima

A Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) vai acolher na próxima quarta-feira a cerimónia de entrega de prémios do Concurso “Alterações climáticas”, promovido pelo [email protected]

O prémio final, no valor total de 100 mil euros, será distribuído por três escolas. A Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado, vencedora na categoria de Adaptação e o Colégio das Terras de Santa Maria, vencedora na categoria de Mitigação vão receber 30 mil euros cada uma. Já o agrupamento de escolas de Vendas Novas, vencedor  na categoria de Alterações Climáticas vai ganhar 40 mil euros.

Susana Neves garante que, com o dinheiro, as escolas vão poder mudar algumas infraestruturas. Na escola da Lourinhã, o prémio vai permitir instalar cisternas que armazenam águas pluviais para abastecer a escola. Em Santa Maria da Feira vai ser construído um edifício ecológico que vai ter por base o conceito de reciclagem. E, em Vendas Novas, os chuveiros e torneiras das escolas do agrupamento serão substituídos.