O FC Porto joga, este sábado, na condição de visitante, contra o Gil Vicente, num encontro referente à 22ª. jornada da Liga NOS. Duas equipas com objetivos diferentes, mas que partilham a importância atribuída a este encontro.

Os “azuis e brancos” pretendem recuperar os dez pontos de atraso sobre o atual líder do campeonato, o Sporting CP, sendo que só a vitória interessa à equipa de Sérgio Conceição numa tentativa de recuperar terreno face aos “leões” e de voltar a ocupar o 2.º lugar da liga, perdido na 21ª. jornada para o SC Braga, após o empate a uma bola frente ao Sporting CP e a vitória da equipa bracarense por 1-2 na Choupana, frente ao Nacional da Madeira.

Quando aos “gilistas”, a equipa treinada por Ricardo Soares encontra-se numa situação delicada, no 15º. posto da tabela classificativa e somente um ponto acima dos dois lugares que garantem a despromoção automática para a Segunda Liga.

Esta época, FC Porto e Gil Vicente já se enfrentaram por duas ocasiões. A primeira foi no dia 10 de agosto de 2020, num jogo da quinta jornada do campeonato, encontro esse que os “Dragões” venceram por 1-0 no Estádio do Dragão. Evanilson foi o autor do único golo da partida, numa altura em que o Gil Vicente ainda era treinado por Rui Almeida. O segundo confronto ocorreu a 29 de janeiro de 2021, num duelo referente aos quartos de final da Taça de Portugal, com mais uma vitória portista, desta feita por 2-0, na casa do Gil Vicente.

Em termos históricos, este é um duelo habitualmente de “boa memória” para o FC Porto. Nos 47 jogos disputados contra o Gil Vicente, os “azuis e brancos” venceram em 38 ocasiões, somando ainda quatro empates e cinco derrotas, sendo a mais recente em 2019/20, na 1.ª jornada do campeonato, com uma vitória por 2-1 para os “galos de Barcelos”.

Poupar ou não poupar?

Com uma equipa relativamente “cansada”, Sérgio Conceição tem algumas decisões difíceis a tomar. Com a lesão de Mbemba e as dúvidas sobre o estado físico de Pepe e Sérgio Oliveira, o técnico “azul e branco” poderá ser obrigado a fazer algumas alterações na equipa, pensando também no jogo importante de terça-feira (9 de março) em Turim, frente à Juventus, para a 2.ª mão dos Oitavos-de-Final da Liga dos Campeões.

É expectável que o FC Porto apresente um onze algo diferente do encontro com o SC Braga para a Taça de Portugal, onde a equipa “portista” foi eliminada da competição no Estádio do Dragão, perdendo por 3-2 frente aos “bracarenses”, sendo que esteve a perder por três golos após 30 minutos de desorganização defensiva por parte da estrutura portista.

A típica “roda portista” depois da derrota frente ao SC Braga. Fonte: FC Porto/Facebook

Marchesin, Taremi, Sérgio Oliveira, Zaidu e Diogo Leite devem ser chamados ao onze titular do FC Porto. Os quatro primeiros são escolhas habituais de Sérgio Conceição para jogar de início, enquanto que o Diogo Leite deverá ser o sucessor de Mbemba, após a fraca exibição de Malang Sarr frente ao SC Braga. Não é de descartar a estreia de Francisco Conceição como titular, numa altura em que o jovem jogador tem mostrado serviço vindo do banco e pode dar minutos de descanso a jogadores como Jesus Corona.

No lado do Gil Vicente, Ricardo Soares conta com algumas ausências, sendo a principal o experiente defesa central Rúben Fernandes, expulso aos dois minutos no duelo com o CD Tondela, na 20ª jornada e é uma carta fora do baralho para o técnico gilista.

Habitualmente a jogar em 4-3-3, é expectável que esse sistema se mantenha, embora possa apostar no 3-4-3 utilizado em alguns encontros, com um foco de jogo pelas laterais, aproveitando a técnica de jogadores como Lourency e Kanya Fujimoto e uma linha defensiva mais baixa, procurando proteger a equipa da profundidade do ataque portista.

“Quem tiver cansaço mental não pode estar no FC Porto”

Na conferência de antevisão ao encontro, Sérgio Conceição foi questionado sobre os efeitos de um eventual “cansaço mental” dos seus jogadores, após um calendário repleto de jogos e com pouco descanso para os atletas, ao que o técnico afirmou que “numa época de COVID, em que se fala tanto disto, esse cansaço mental não existe” e que “quem tiver cansaço mental não pode estar no FC Porto”.

Relativamente aos défices físicos dos seus jogadores, o treinador do FC Porto afirma que esses sim “existem”. “[Contra o Braga] o Sérgio Oliveira estava limitado, o Pepe acabou o jogo a mancar. É um campeonato anormal”, destacou Sérgio Conceição, afirmando que a sua equipa “vai lutar” pelo campeonato, mesmo sabendo que têm “de correr atrás do prejuízo”.

Ricardo Soares, treinador do Gil Vicente, garantiu que a equipa parte com uma “vontade enorme de ir a jogo” e com a “ambição de conquistar pontos”. Questionado sobre a derrota dos “dragões” frente aos “bracarenses”, o técnico “gilista” afirma que essa derrota “tem que ser analisada pelo FC Porto”, não pelo Gil Vicente.

“Temos de ter coragem e colocar o FC Porto numa zona que não seja confortável para eles, ser assertivos e muito eficazes no ataque”, referiu Ricardo Soares, indicando que a sua equipa “tem de encarar todos os jogos até ao fim do campeonato como uma final” se pretender permanecer na Primeira Liga.

O Gil Vicente, 15º. classificado com 19 pontos defronta o FC Porto, terceiro classificado com 45 pontos, este sábado, a partir das 18h00, no Estádio Cidade de Barcelos, num jogo da 21ª jornada da Liga NOS.