Dragões foram aos Açores empatar 1-1 com o Santa Clara. Os autores dos golos foram Fábio Cardoso, do lado dos visitantes, e Boateng, do lado dos da casa. A equipa portista perdeu pontos pela segunda jornada consecutiva no campeonato e viu o Benfica distanciar-se na liderança.

Pontos acabaram divididos em São Miguel, nos Açores. Foto: Liga Portugal/Facebook

O Estádio de São Miguel, nos Açores, recebeu, este sábado, o jogo da 11.ª jornada da Primeira Liga entre o CD Santa Clara e o FC Porto. 

Fruto das incidências do clássico do dia 21, o onze inicial do FC Porto sofreu uma alteração: Eustáquio, que levou cartão vermelho, foi substituído por Bruno Costa. Além disso, Sérgio Conceição, o treinador dos dragões, não assistiu ao jogo do relvado, por estar castigado após ter visto um vermelho já depois do apito final do jogo contra o SL Benfica.

A equipa azul e branca chegou cedo à vantagem, num lance de bola parada, mas o Santa Clara acabou por equilibrar o jogo com várias oportunidades e atingiu o empate. É de realçar, também, as muitas defesas do guarda-redes Diogo Costa, que impediu a concretização de mais golos da equipa da casa.

Assim, os azuis e brancos isolam-se, temporariamente (visto que o Braga apenas joga domingo), no segundo lugar com 23 pontos, mas veem o Benfica, que goleou o GD Chaves, a alargar para oito pontos a vantagem para o primeiro lugar. 

A equipa açoriana ascendeu, tal como FC Porto, temporariamente (na medida em que o Gil Vicente jogará domingo), à 15.ª posição com nove pontos. 

FC Porto em vantagem aos três minutos

O jogo começou com o pontapé de saída do Santa Clara, mas, apenas três minutos depois, o FC Porto fez o primeiro golo da partida. Na sequência da marcação de um livre por Bruno Costa, Fábio Cardoso saltou mais alto. O defesa dos dragões cabeceou a bola na pequena área em linha reta, com a bola a entrar rente ao poste direito da baliza. Dois minutos depois, o golo foi confirmado pelo VAR.

À passagem do sexto minuto, a defesa do FC Porto atuou de uma forma fantástica de forma a cortar a bola e evitar o perigo na sequência do cruzamento efetuado por Gabriel Silva. O árbitro sinalizou um pontapé de canto para o Santa Clara.

Apenas dois minutos depois, a equipa açoriana pediu penálti na sequência de um canto de Sagna, mas Uribe tinha o braço junto ao corpo e o árbitro nada assinalou.

Pouco tempo depois, Pierre Sagna rematou à baliza portista, mas a bola voltou para os seus pés. Numa segunda tentativa, rematou novamente, porém, a bola passou por cima da trave.

Em vantagem, a equipa do FC Porto dominava o jogo, demonstrava um ótimo trabalho de equipa e construiu alguns lances de perigo. 

À passagem do minuto 20, Bruno Costa marcou o canto e Taremi cabeceou junto ao segundo poste, mas a bola foi para fora.

Do lado do Santa Clara, Bruno Almeida efetuou um bom lance, passou por Zaidu, mas cruzou curto, o que acabou numa defesa fácil para Diogo Costa.

Ao vigésimo nono minuto, Gabriel Batista travou com classe um remate de Evanilson, que cabeceou diretamente para as mãos do guarda-redes.

A equipa dos dragões voltou a pressionar ao minuto 35 com um remate de Otávio. Somente três minutos depois, o Santa Clara trabalhou bem na direita, com Ricardinho, que escapou a Zaidu, a cruzar atrasado para o remate de Gabriel Silva, mas a bola saiu ao lado.

Aos 42 minutos, Diogo Costa realizou uma incrível defesa a um grande remate rasteiro, de fora da área, de Matheus Araújo.

Ainda neste mesmo minuto, os jogadores do Santa Clara pediram penálti por alegado corte de Pepê com a mão, mas Artur Soares Dias mandou continuar o jogo.

A faltarem dois minutos para o final da primeira parte, Bruno Almeida fez um remate rasteiro, ainda fora da área, para mais uma defesa de Diogo Costa. Os adeptos açorianos mostraram-se empolgados com os últimos minutos do Santa Clara, mas o FC Porto manter-se-ia na frente do marcador até ao intervalo.

Jogo renhido termina em empate 

Já na segunda parte do jogo, na busca pelo empate, Bobsin rematou de fora da área perante uma multidão de jogadores em direção ao lado esquerdo da baliza, mas Diogo Costa defendeu com segurança.

Já ao minuto 68, Galeno recebeu bem a bola dentro da área, mas demorou muito tempo a rematar e Boateng cortou o lance.

Grabriel Silva, do Santa Clara, um minuto depois, efetuou um bom remate à entrada da grande área em direção ao canto inferior direito da baliza, contudo, Diogo Costa, defendeu mais uma vez.

À passagem do minuto 78, Taremi realizou um grande passe, porém Galeno, já no interior da área, perdeu o equilíbrio e a bola.

E ao minuto 83 do jogo, o Santa Clara chegou ao empate. Xavier Quintilla aproveitou um pontapé de canto para cruzar para a área e a bola encontrou Kennedy Boateng que saltou mais alto e fez um remate de cabeça para o lado direito da baliza: estava feito o 1-1.

O jogo acelerou nos instantes finais e os adeptos açorianos faziam grande festa nas bancadas.

Numa tentativa de ganhar o jogo, ao minuto 89, Taremi cabeceou de dentro da área para a baliza do Santa Clara, mas Gabriel Batista defendeu.

Ao minuto 97, o FC Porto arriscou tudo com um canto e Taremi rematou diretamente contra Bobsin.

Apesar de o FC Porto ter sido superior ao Santa Clara em posse de bola, remates e na precisão dos passes, não foi o suficiente para desempatar o jogo. Desta forma, os azuis e brancos permanecem, temporariamente, em segundo lugar a oito pontos do líder SL Benfica e começam a complicar as contas para o título

“Caímos no erro de nos sentarmos no golo”

Com Sérgio Conceição castigado, foi o treinador adjunto do FC Porto, Vítor Bruno, a comentar o jogo na flash interview. O técnico considerou que o FC Porto podia ter ampliado a vantagem logo na primeira parte: “Entrámos bem, fizemos o golo a abrir. Recordo-me de quatro ou cinco momentos em que podíamos fazer o segundo golo e não fizemos e penso que o resultado ao intervalo se aceita, apesar de poder ser mais dilatado para o FC Porto”.

A equipa tentou ainda fazer na segunda metade o que não conseguiu na primeira, mas não de forma competente: “Caímos no erro de nos sentarmos no golo que tínhamos marcado e tentámos controlar o jogo, chegámos à baliza com pouca contundência”, afirmou Vítor Bruno à Sport TV.

Assim, assumiu Vítor Bruno, o “Santa Clara empatou com mérito” e é importante que os jogadores e equipa técnica e jogadores aprendam com os erros.

Sobre a desvantagem para o líder Benfica, Vitor Bruno diz que é preciso manter a pressão sobre o líder: “É estar sempre de olho em quem está na nossa frente e fazer com que, quando olhem para o retrovisor, percebam que está lá alguém de azul e branco competente e que já foi campeão nacional”.

Mário Silva falou em “jogo equilibrado”

Mário Silva, técnico do Santa Clara, afirmou na flash interview que sabia “que o FC Porto ia entrar forte” e que a equipa tinha de se “superar para conseguir competir” com o FC Porto. Além do mais, disse que a equipa açoriana foi competitiva e que soube equilibrar o jogo. 

O empate significa ”um ponto muito importante” para a equipa, “que valoriza o esforço e sacrifício” dos seus jogadores. 

O técnico destacou, também, que “a equipa entrou a perder, mas nunca se desorganizou. Tentou sempre manter o plano traçado”.

Assim, concluiu, que este foi “um jogo equilibrado” ao qual o empate se ajusta e que o Santa Clara estava de parabéns.

O FC Porto prepara agora o próximo encontro no Dragão, que será para a Liga dos Campeões, com o Atlético de Madrid, na próxima terça-feira, dia 1 de novembro. Já para o campeonato, os azuis e brancos jogam em casa com o FC Paços de Ferreira, no próximo sábado, dia 5 de novembro. 

O Santa Clara jogará a próxima jornada no dia 7 de novembro, segunda-feira, com o GD Chaves para o campeonato no Estádio Municipal Engenheiro Manuel Branco Teixeira, em Chaves.

Artigo editado por Filipa Silva